MEIO AMBIENTE e o CONSUMO

Postado por Meio Ambiente e Cidadania 5 de jun de 2011

clip_image001

Fonte figura: http://fervendo.no.sapo.pt

O consumo é o grande emoliente, produtor ou encorajador de imobilismos. Ele é, também, um veículo de narcisismos, por meio dos seus estímulos estéticos, morais, so­ciais; e aparece como o grande fundamentalismo do nosso tem­po, porque alcança e envolve toda gente. Por isso, o entendimen­to do que é o mundo passa pelo consumo e pela competitividade, ambos fundados no mesmo sistema da ideologia. Consumismo e competitividade levam ao emagrecimento moral e intelectual da pessoa, à redução da personalidade e da visão do mundo, convidando, também, a esquecer a oposição fundamental entre a figura do consumidor e a figura cidadão. Cf. Milton Santos, Por uma outra globalização: do pensamento único à consciência universal. 2006, p.. 49.

Os que têm possuem alta taxa de consumo, e como conseqüência deste fenômeno, excessiva produção de poluentes. Os que não têm – os que têm menor poder aquisitivo, os pobres e miseráveis - são incapacazes de satisfazer as necessidades econômicas básicas. São caracterizados pela baixa renda familiar, não possuem moradia digna, a rede de esgoto que utiliza é a céu aberto, que ao receber resíduos sólidos que são agentes causadores de problemas ambientais como: alterar a qualidade do ar em função das emanações de gases e poeiras, poluir as águas superficiais e do subsolo pelos metais pesados, líquidos percolados (chorume) e pela migração de gases, agredir esteticamente o solo devido ao espalhamento de lixo, atrair animais causadores de enfermidades, como por exemplo, ratos, moscas, baratas.

Autor: JRSH

0 comentários

Postar um comentário

Receba Noticias

Digite seu E-mail e receba nossas atualizações:

Arquivo